Não-ficção

Mais do que marlboros

Tento, instintivamente, fugir daquilo que me causa transtorno. Falho miseravelmente todas as vezes. Acho que tem alguma coisa a ver com o seu cheiro, e o jeito que cê me olha e sorri quando, por um milésimo de segundo, cê consegue esquecer do peso que te corrói todo o tempo.

Queria que no meio de todas as minhas músicas bad vibes, eu não estivesse ouvindo Mr. Brightside, arrancando as cascas de todas as feridas que estão longe de cicatrizar. Permaneço exposta, caída no chão, de um lado da rua paralelo ao seu. Parece que o tempo todo estamos em busca do carro que vai nos atropelar e ir embora, deixando pra trás somente o que restou das nossas almas cansadas.

Se te serve como algo, cê amaldiçoou o meu coração e ele permanece intacto, sendo seu. Nunca consegui realmente capturar os destroços do que sobrou. Não consigo mais pular desse barco, mesmo que ele esteja afundando há tempo demais. E te amo, mais do que amo marlboros. E te espero por alguma razão que ainda não sei definir.

And i just can’t look, it’s killing me and taking control.

Anúncios